Resta-nos assistir.. Outubro 05, 2020

Após mais de 500 posts e quase 2 anos de actividade, AcordaPortugal.pt chega ao fim.

A degradação da sociedade como um todo, bem como a degradação dos valores e cultura intrínsecos a cada país vai continuar e será cada vez mais perceptível; a corrupção política continuará impune; a propaganda de conteúdo sem objectivo de informar mas de formatar adultos, jovens e crianças acentuar-se-à com a conivência de partidos e comunicação social.

The point of modern propaganda isn't only to misinform or push an agenda. It is to exhaust your critical thinking, to annihilate truth.

Agradecer a quem por aqui passou. Resta-nos assistir à degradação, mas não fim, da sociedade, o que é ainda mais penoso.

O site manter-se-à activo até finais de Dezembro

Conferência Anti-Racismo proibiu pessoas brancas de usarem da palavra

Uma conferência realizada pela Universidade de Edimburgo no Reino Unido acabou por ser acusada de apoiar o racismo contra brancos ao não permitir que pessoas brancas expressassem os seus pontos de vista.
Conferência Anti-Racismo proibiu pessoas brancas de usarem da palavra
A conferência cujo nome por si só demonstra a que estado chegou a terra da Raínha: "Resisting Whiteness 2019", foi organizada por um grupo que se opõe ao racismo (!!!). Após a controvérsia ter chegado ao ouvido do público, o grupo de organizadores alegaram que o objectivo era dar voz às pessoas de cor.

De acordo com o estipulado nas regras do evento, uma das medidas era não dar o microfone a pessoas brancas durante as perguntas e resposta, para além de haver espaços reservados apenas a pessoas de cor.

Façamos o exercício de imaginar um grupo de pessoas brancas criarem uma conferência denominada "Resisting Blackness 2019" e restringirem as pessoas de cor de falarem. Que impacto mundial teria?

Hipocrisia jornalística, como sempre.