ABC News censurou deliberadamente evidências sobre a casa de pedofília de Epstein por estarem envolvidos os Clintons

Vazou um vídeo da estação televisiva ABC News em que a apresentadora diz que tinha todas as informações necessárias para colocar Epstein e todos os envolvidos atrás das grades mas foi constantemente barrada pelas pessoas que implicava a acusação.
ABC News censurou deliberadamente evidências sobre a casa de pedofília de Epstein por estarem envolvidos os Clintons
A co-apresentadora da ABC, Amy Robach, admitiu em vídeo que a empresa para qual trabalha se recusou a publicar um relatório de investigação sobre Jeffrey Epstein há três anos, tudo por causa da quantidade de pessoas importantes implicadas.

Amy Robach diz e cito:

I’ve had this story for three years… (ABC) would not put it on the air.
It was unbelievable what we had. Clinton. We had everything. I tried for three years to get it on to no avail and now it is all coming out and it is like these new revelations and I freaking had all of it.

Amy Robach - ABC co-host

As evidências implicam directamente Bill Clinton e o Príncipe Andrew, entre muitos outros. Amy diz ainda que a família real britânica ameaçou directamente a estação televisiva ABC e pressionou para que a história fosse abandonada.

Amy fala também da morte de Epstein e para ela é claro:

So do I think he was killed? 100% Yes, I do…He made his whole living blackmailing people… Yup, there were a lot of men in those planes. A lot of men who visited that Island, a lot of powerful men who came into that apartment.

Amy Robach - ABC co-host

É claro como a água que o casal Clinton está envolvido e é claro que Jeffrey Epstein não se suicidou, foi sim morto por saber demais. Hoje é também claro como a água que a Casa Branca já teve um Presidente e um Vice-Presidente pedófilos: Bill Clinton e Joe Biden respectivamente.

Aqui, no AcordaPortugal, alertámos por já várias vezes para a falcatrua de informação que chega a Portugal. Ninguém sabe destes escândalos porque há um concluio mundial para abafar determinados assuntos. Se fosse Donald Trump, havia notícias 24/7 non-stop.

Ver: