A utopia de que está tudo bem em Portugal

O programa de José Eduardo Moniz denominado "Deus e o Diabo" veio esclarecer e por a pratos limpos a realidade da geringonça que nos tem servido nos últimos anos, com muitas das greves a passarem despercebidas e sem comentário de fundo por parte do governo.
A utopia de que está tudo bem em Portugal
Fica-se com a sensação sempre que António Costa aparece nos ecrãs e fala ao povo português, que vivemos tempos áureos de grande economia, com as Web Summits, as Madonnas e o turismo por todo o país. O que nem António Costa, nem Catarina Martins, nem Jerónimo de Sousa falam é da quantidade abismal de greves nas mais diversas áreas e profissões que nos tem assombrado nos últimos meses.

  • Greve da Comboios Portugal
  • Greve dos Enfermeiros
  • Greve dos Professores
  • Greve do SEF
  • Greve do Fisco
  • Greve dos Bombeiros
  • Greve dos Guardas Prisionais
  • Greve dos Magistrados Ministérico Público
  • Greve dos Juízes
  • Greve dos funcionários Judiciais
  • Greve dos Inspectores da Polícia Judiciária
  • Greve dos trabalhadores do Metro do Porto
  • Greve dos trabalhadores do Hiper e Super mercados

Os últimos dados da DGERT (Direcção Geral de Emprego e das Relações do Trabalho) apontam que só este ano houve mais de 500 greves em 20 sectores!

Só a título de curiosidade, apenas as greves dos privados são contabilizadas no SNR (Sistema Nacional de Registos), uma fantástica forma de esconder os nºs totais de greves contra o estado.