A Europa não é preta, nem do homem-preto

O título poderá ser sensacionalista mas só foram mudadas duas palavras em relação ao discurso de Joacine Katar, líder do partido de extrema esquerda Livre, que ganhou assento parlamentar.
A Europa não é preta, nem do homem-preto
Joacine Katar disse e cito: "A Europa não é branca, a Europa não é do homem-branco". Ora, para mim faz mais sentido dizer que a Europa não é preta, nem do homem-preto, porque é e sempre foi essa a realidade, felizmente. A palavra "felizmente" é utilizada baseada em factos e os factos são que não existe um país no mundo todo que seja maioritariamente habitado por pessoas pretas onde não haja pobreza, crime e outros problemas sociais extremamente elevados.

Aquando a celebração do seu partido ter ganho, Joacine Katar - que está em Portugal; que é líder de um partido Português e que concorreu para eleições Portuguesas, festejou a vitória com uma bandeira da Guiné Bissau (!).

O seu discurso extremista, feminista, radical vão ser curiosos de se ver nos próximos quatro anos e estaremos cá para ver quem é pior: se Joacine ou se os seus votantes.